Archive for the ‘Encontros, eventos e reuniões’ Category

Vendavais e pocilgas (.3-II)

junho 19, 2013

r e e n t r â n c i a s    n o    c o r a ç ã o   d a

t o r m e n t a

Existem infinitos modos de se argumentar as convulsões humanas, seus sacolejos, aqueles momentos de descarga em que nada se perde e qualquer ato pode atingir seu limiar mais sereno ou explosivo. Não só a “fome por bugigangas”, mas também os estágios mais frágeis da fome, da falta, do desespero. Não só a guerra, mas também estados de paz dissimulada, que colocam as guerras sob o véu dos acordos. Porém, convenhamos, esses argumentos vêm necessariamente de um pôr-se- à-distância e posicionar-se sobre os acontecimentos. O que normalmente se pode esperar de quem narra sobre as emergências das revoltas é que esse alguém está caindo em especulações, justamente por se querer distante da tormenta. É incapaz de explicá-la por não estar no seu coração,  o lugar onde estão suas próprias explicações. Suas motivações não podem ser universais, pulsam como tudo que é orgânico, tudo que respira compondo essa musicalidade espontânea e compassada de paixões.

É momento despertar.

…estas ruas

                                                     transbordam

em corpos

                                             indignados…

+ infos: atingidoscopa2014.wordpress.com

Terceira edição do Juventude Okupa a Cidade! Qual é o seu grito?

abril 8, 2012

Vem aí a terceira edição do Juventude Okupa a Cidade! Qual é o seu grito – 13 de abril. 19:00hs Centro Cultural da UFMG. Contras todas as formas de violência e opressão! Contra o extermínio da juventude!

Acessem – www.okupa.concatena.org

 http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=eubA9mLrXt4

Carnaval de Beagá em debate

fevereiro 23, 2012

Fantasia de Carnaval de BH, nas melhores casas do ramo!!

fevereiro 14, 2012

Anonymous BH

outubro 18, 2011

Desde sábado, dia 15/10, um grupo do movimento “Anonymous” está acampado no “hall” da Assembleia Legislativa. A manifestação foi convocada via internet já passaram por lá cerca de 400 pessoas. A atividade foi realizada ao mesmo tempo em que ocorreu a jornada mundial dos “indignados”, no sábado, com manifestações em diversas partes do mundo.

O movimento “Ocupem Wall Street” (OWS), que inspira tais manifestações, completou nesta segunda o seu primeiro mês, fortalecido pela extensão do movimento nos Estados Unidos e pela adesão às manifestações de “indignados”. Belo Horizonte foi uma das cidades que promoveu a manifestação. Os Anonymous estão dispostos a permanecerem acampados no local, sem data para sair.

No dia 17 de setembro 150 pessoas ocuparam a Praça Zucotti, no coração do bairro de Wall Street, inaugurando o movimento, que cresceu e se estendeu a cerca de outras 100 cidades americanas.

A ‘Ocupem Wall Street’, que continua se manifestando como uma organização pacífica e sem líderes, é muito ativa nas redes sociais. Denuncia os excessos do mundo financeiro e “o poder corrosivo” exercido pelos grandes bancos sobre a democracia.

No Brasil

No sábado, durante a jornada mundial dos “indignados”, milhares de pessoas se manifestaram na famosa Times Square de Nova York. Noventa e duas pessoas foram detidas, a maioria por ter se negado a deixar o local de concentração o número de pessoas presas hoje já ultrapassa 1000.

São Paulo, Curitiba e Porto Alegre também tiveram suas ruas ocupadas por apoiadores do movimento “Ocupe Wall Street”, que questionam o sistema acumulativo capitalista e também denunciam a corrupção.

Em Curitiba, dezenas de manifestantes se concentraram na escadaria do prédio histórico da Universidade Federal do Paraná, tomando as ruas da capital paranaense em seguida.

O protesto de apoio também foi realizado na região central de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Jovens mascarados, com caras pintadas e portando cartazes, marcharam pelas ruas e praças da capital gaúcha.

Manifestantes em São Paulo também se reuniram e distribuíram panfletos, carregando cartazes com críticas à corrupção e fazendo chamamentos a outros levantes. No vão do MASP, na Avenida Paulista, como parte do dia mundial de manifestações o poder exagerado do sistema financeiro, cerca de 30 pessoas se reuniram, muitas delas utilizando máscaras do personagem Guy Fawkes, dos quadrinhos “V de Vingança”.

Na Europa, o movimento dos “indignados” contra a crise e as finanças globais adquiriu, neste último final de semana uma dimensão planetária, levando às ruas dezenas de milhares de pessoas em manifestações que chegaram a Alemanha, Reino Unido e Holanda. Nas Américas, também houve manifestações no Canadá, México, Chile, Peru e Brasil.

Mais informações:

http://anonymousbh.tk

http://www.democraciarealb​rasil.org/

Prévia do Impeachment de Márcio Lacerda

julho 1, 2011

Praia da Estação + Roda de discussão

Mocidade independente de Belo Horizonte,

Como muitos já devem saber, a última do nosso digníssimo prefeito foi a nomeação do próprio filho – Tiago Lacerda – para o cargo de presidente do Comitê Executivo da Copa em BH (ou seja, diretamente responsável pelo gerenciamento da montanha de grana direcionada às obras do Mundial).

Todos nós sabemos o que significa um cargo desses em termos de poder e influência. Muitos de nós expressamos, durante a semana, nossa indignação com o fato, via Facebook. Numa das conversas, surgiu a idéia de uma edição da Praia da Estação, no próximo sábado, dia 2 (amanhã!) a partir das 11h, para discutir esses e outros assuntos relacionados às práticas da atual administração. Motivo é o que não falta pra conversa e protesto nesse momento: as denúncias de irregularidades nas obras do Mineirão (feitas pelo TCE) e todos os absurdos denunciados pelo pessoal do Comitê Popular dos Atingidos pela Copa são só a ponta do iceberg.

Então. Bora lá ocupar a cidade e inventar outras?

Como sempre, biquínis, cangas,  maiôs e trajes de banho em geral são bem vindos. Assim como instrumentos musicais, idéias, tinta, sonhos, cartazes, perguntas, brinquedos, indignação, protetor solar, alegria…

Vem! Vem! Pra praia vem! 

Coragem, coragem, se o que você quer é aquilo que pensa e faz! Coragem, coragem, eu sei que você pode mais!

junho 21, 2011

Click e ouça a trilha. 

O histórico do povo Brasileiro nas ruas é logo e muito importante, apesar de escondido pela mídia. Existe uma vontade de mostrar um povo bom e pacífico, ordeiro e acomodado. Ah, o Brasileiro prefere uma cerveja a lutar por seus direitos. Mentira!

Esquecem dos estudantes que lutaram contra a ditadura, da eterna luta dos professores, que já foram recebidos por jatos d’água no centro de Belo Horizonte, a mando do então Governador Tancredo Neves, na década de 80. Esquecem da Greve dos Pedreiros de 1979, quando em dois dias Belo Horizonte parou com a revolta dos trabalhadores que pediam; segurança e melhores condições de trabalho. Esquecem a luta pelas Diretas Já, menos beligerante, mas fundamental para o fim do Regime Militar e ainda o Impeachment Collor. Aqui é preciso lembrar que o movimento estudantil, que ficou conhecido como “caras pintadas”, só foi televisionado depois de quatro meses de constantes manifestações, quando Sinhá Mídia percebeu que não dava mais para esconder a onda de manifestações que ocorria em todo o Brasil.

Os tempos mudaram, um operário virou Presidente, as manifestações ficaram mais brandas, os movimentos Sindicais acomodados, os Grêmios Estudantis também foram aparelhados por diversos partidos. Durante a primeira década do novo século apenas os movimentos sociais apartidários mantiveram combativos. Todo Primeiro de Maio há uma grande marcha de trabalhadores em todo o País, que não sai na mídia. Este ano, por exemplo, eram quase duas mil pessoas acampadas na porta da Assembléia Legislativa de Minas, durante três dias e não saiu nada nos Jornais.

Aliás, parece que os jornalistas aceitaram de vez o cabresto dos patrões. Hoje temosem Minas Geraisa luta dos Professores Estaduais, dos Policiais, Militares, Civis e Bombeiros e nada disso sai nas mídias. E ainda, a luta dos assentamentos em risco de despejo, dos Barraqueiros do Mineirão, dos Artesãos e Moradores de rua. Como também não saiu quase nada sobre a Manifestação pela Liberdade de Expressão que aconteceu dia 18 de junho no centro de BH.

A Marcha surgiu da proibição da Marcha da Maconha, reprimida com violência em várias capitais, mas não defendia apenas a liberação da Cannabis, lutava pelo direito de livre expressão, coisa que muita gente não entendeu. E havia outra Marcha, no mesmo dia e que se encontraram na Praça da Estação. A Marcha das Vagabundas ou SlutWalk é um protesto que surgiu no Canadá depois que um Policial afirmou em uma palestra que as mulheres incentivavam o estupro com suas roupas.

Homens e mulheres, de todas as idades e classes sociais, da zona sul aos moradores de rua, do Movimento pelo direito das Mulheres ao Comitê Popular dos Atingidos Pela Copa 2014, uma diversidade de gritos ecoando juntos. E com tantos desejos diferentes havia algo em comum, a luta pela Liberdade! Contra um estado opressor e elitista que governa de acordo com multinacionais e interesses econômicos. Mas nem todo mundo percebeu a beleza dessa diversidade e não entenderam que lutamos juntos.

O que aconteceu em frente a Prefeitura de BH foi triste, lamentável e mostra o perigo de termos um prefeito que vê a cidade como uma empresa e trata os cidadão como público alvo. No caso, alvo das cacetadas e spray de pimenta da guarda municipal. Uma guarda despreparada e truculenta, arrogante e prepotente, igual a seu comandante maior, o prefeito. Pois na porta da prefeitura, quando manifestantes mais combativos ameaçavam invadir a escadaria, – nunca entendi porque limitam a manifestação ao passeio, toda vez é a mesmo coisa – quatro guardas se sentiram ameaçados e sacaram seus cassetetes sobre os manifestantes. Logo o confronto ampliou e o que era uma “briga” entre dois sujeitos de lado opostos, virou um tumulto generalizado. Outros guardas se juntaram ao mais valente lacerdista e com sprays em punho miravam os olhos dos manifestantes. O que se viu em seguida é algo grotesco. Os guardas não tentavam manter a ordem, tentavam agredir os manifestantes, tomaram a questão como pessoal. Neste vídeo é possível ver o que rolou. Depois de muito spray, até contra eles mesmos, pois o despreparo é tanto que acertaram o próprio colega de farda, a PMMG interveio e separou. Pasmem! A Polícia Militar foi obrigada a proteger os cidadãos da agressividade da guarda municipal!

E aqui rendo uma homenagem aos comandantes militares que acompanharam a manifestação. Graças a eles menos gente apanhou! E ao final a PM ainda fez mais bonito, se retirou e deixou a rua fechada para o povo! E isso foi outra demonstração de civilidade, para quem precisa aprender a manifestar na rua.

Ocorreu o seguinte, a manifestação saiu da porta da prefeitura, alguns “lideres de Facebook” puxaram a Marcha e deixaram vários manifestantes para trás, abandonados a própria sorte. Outros, percebendo a falta de companheirismo, voltaram e se juntaram aos sujeitos que lavavam o rosto e olhos de spray. Juntamente com os PMs que os protegiam da sanha da guarda municipal se reintegraram a manifestação.

A Avenida João Pinheiro, que já foi Avenida da Liberdade, foi tomada e a manifestação chegou até o Palácio. Interditaram a faixa de trânsito sentido centro/savassi, ali continuamos a manifestar e a gritar palavras de ordem. A PM, fazendo o seu papel, exigia a liberação de uma pista. Alguns manifestantes concordaram, não achavam correto fechar o trânsito e tentavam convencer os demais, alguns já incorporados como porta vozes do movimento.

A PM sugeriu duas opções: ficar por ali mais 15 minutos e depois irmos para a Praça da Liberdade ou ficar o tempo que quiséssemos e liberar uma faixa imediatamente. Os porta vozes iam e vinham com as propostas, o povo assentou no chão e quando perguntados sobre quanto tempo ficariam, um coro ressoou: até a Copa! até a Copa! até a Copa! Os porta vozes se indignaram: como assim, levem a sério, o Choque vem ai, não podemos fechar o trânsito totalmente! Pense nas pessoas que precisam passar de carro aqui.

Insatisfeitos com os manifestantes que não arredavam a bunda do chão, um a um, os porta vozes foram se retirando. A “liderança de Facebook” recolheu seu megafone e foi embora. Com a bola do jogo – megafone – debaixo do braço saíram da contenda, fizeram certo, aquilo não era para eles. Aquela manifestação era para gente de fibra e coragem. Era coisa de mulher que sofre preconceito todo dia, de negro que não aceita mais ser discriminado, de morador de rua que tem seus pertences roubados pela prefeitura, de barraqueiros do entorno do Mineirão que perderam sua fonte de renda, de cidadão indignado que não admitem que o governo esconda suas contas e da população pobre que está sendo expulsa da cidade em prol de grandes empreendimentos. Aquela não era uma luta por uma bolinha, é uma luta contra uma bolada! Uma bolada de desrespeitos que sofremos todos os dias, que às vezes nem percebemos e que vai aos poucos nos aprisionando.

Depois que os sujeitos donos da bola, que acreditavam serem também os donos da manifestação, se retiraram, a coisa mudou. Um cidadão, gente fina, disponibilizou um novo megafone e quem quis pode se expressar. Dos mais de 800 manifestantes, restaram aproximadamente 200, das cinco viaturas da PM, apenas uma. O trânsito foi desviado no quarteirão de baixo e não houve o dito confronto. Com megafone em punho, as minorias presentes se manifestaram por mais de uma hora, prazo maior que o prometido; pelos diretos das mulheres, dos negros, dos professores, dos moradores de rua, das famílias ameaçadas de despejo, contra os abusos de toda a ordem para a realização da Copa. A diversidade de falas, de cores, de bandeiras, de gente, mostra um povo que está amadurecendo, que luta junto, que entende o outro, que respeita e está se juntando. Ao final, todos deram as mãos e fizeram uma grande ciranda que tomou as faixas nos dois sentidos em frente ao Palácio e de longe uma viatura da PM assistia, tranquilamente. Desconfio que muitos deles, que estão em luta salarial e por melhores condições de trabalho, também queriam dar as mãos naquela ciranda da diversidade!

A cada cidadão que participou daquele momento a minha saudação e certeza: começamos bem e vamos contaminar! Este vídeo ficou muito bonito!

Dia 02/06, quinta-feira: Sarau no espaço Ystilingue!

junho 1, 2011

Sejamos sinceros: estão numa idéia de “revitalizar” o condomínio Maletta. O que isso pode significar, sei lá. Agora, os seguranças do prédio começaram a aparecer com umas ordens esquisitas a cumprir: não pode sentar no chão (?); não pode divulgar poesia (?); não pode amendoim (?); não pode isso; não pode aquilo…

E poder, pode o quê?

(more…)

Sexta-feira, 03/06:: II Juventude Okupa a Cidade

maio 31, 2011

Piscinão de Ramos de Belo Horizonte

maio 20, 2011


Se você acha a Praia da Estação elitista, não tem mais desculpa: venha para o Piscinão de Ramos da Rodoviária!

Futebol, farofa, gente diferenciada e se fizer sol gente de sunga e biquíni.


Onde? Praça da Rodoviária – Belo Horizonte

Quando? Domingo, 29 de Maio, 13:00

Quanto? De graça!

Debate: Qual é a cidade que queremos?

Belo Horizonte passa por um período de proibições e possibilidades. A cidade com seus despejos, “revitalizações”, decretos forçados, prisão de pixadores, especulação imobiliária, parcerias público-privadas feitas por debaixo dos panos, poder público e a população seduzidos pela Copa, convivem com  movimentos populares, festas de rua, ocupações, com o Movimento Passe Livre, Brigadas Populares, Praia da Estação, Massa Crítica, Comitê Popular dos Atingidos pela Copa, Piores de Belô dentre outros.

Então de qual lado estamos? Qual é a cidade que queremos? Qual é a cidade que eles querem?

Se nos é negado o direito de permanecer em qualquer espaço público da cidade, ocuparemos esses espaços de maneira divertida, lúdica e  aparentemente despretensiosa. Todo espaço vago deve ser tomado!

Traga sua roupa de banho (bermuda, calção, biquini, maiô, cueca), boias, cadeiras, toalhas de praia, guarda-sol, cangas, farofa e a vitrolinha… e se fizer frio, traga seu calor humano.

Traga tambores e viola!

Traga bola, vamos mostrar que futebol vai para além da Copa!

Traga comida para um banquete coletivo!

Venha vivenciar a cidade!

Fonte: http://comjuntovazio.wordpress.com/2011/05/20/piscinao-de-ramos-de-belo-horizonte