Cercados não transbordam

by

Cercados. Cercas, cercas e mais cercas. Cercas físicas, cercas burocráticas e cercas simbólicas. Por quê? Sério, não ria, por quê?

A pergunta que ninguém mais faz é: Quem Se Beneficia? Quem Lucra?

A prefeitura queria cercas de 1,80m, o pessoal do festival conseguiu que a cerca tivesse 1,20m. É isso mesmo, agora brigamos por centímetros nas cercas à nossa volta. Centímetros. De certa forma, até se parece com as eleições deste ano, né?

E por quê? Sério, por quê??? Você não fica curiosa ou curioso??? A praça não é do povo como o céu é do condor??? Olhe as cercas da praça: PRA QUÊ elas servem?

Milhares de pessoas atravessam a praça da estação todos os dias, mas hoje ela está cercada e muita gente SE desvia das cercas, ao invés de se misturar à festa. As cercas impedem a festa de se misturar à cidade, de transbordar de fato. A festa, pelo menos a boa festa, é o oposto do que quer o lacerdismo. Ela é livre, é o riso, ridiculariza as autoridades impostas e suas burocracias. Compartilha, bebe na mesma lata, passa a bola e faz o gol. A festa não admite platéia, ela exige participação, tira a roupa e goza (n)o moralista. A festa é contagiosa, expansiva, levanta da cadeira, ocupa a rua e abre sorrisos, tudo sem as autorizações e carimbos nas quatro vias.

A FESTA É PÚBLICA POR NATUREZA.

Toda ocupação é uma boa festa em potencial, por isso o grande empresário na prefeitura investe tanto em formas de te convencer que o espaço público deve ser um espaço de passagem, um corredor entre espaços privados. O Reino da Mercadoria.

Por isso ataca, por exemplo, Dandara, Camilo Torres e Irmã Dorothy, comunidades que só querem fazer valer o uso social da propriedade. Querem expulsar famílias de suas moradias até a tal Copa do Mundo de 2014.

Mas a festa quer que a cidade seja um espaço de pessoas, onde elas possam participar se expressar, encontrar para trocar idéias e informações. A cidade como plataforma flutuante de boas idéias!!!

Câmeras, catracas, cercas e “burrocracias” desnecessárias. Tá com medo de quê?

Não me entendam mal, eu até entendo a importância de certa burocracia nos grandes eventos ou nos usos comerciais da praça. Mas não é disso que estamos falando, né? Estamos falando de uma burocracia que dificulta ao máximo exatamente os pequenos eventos, espontâneos ou não, aqueles que não podem pagar os 10mil reais de aluguel, nem tem amigos na prefeitura que possam contar, não possuem advogados ou funcionários. Lacerda transformou a praça em um salão de festas para grandes empresas fazerem propaganda. E quem lucra?

Mas o clima está esquentando e tem gente que já não vai aguentar a gravata e os engravatados, e vai colocar a caixa de isopor de volta no chão sagrado da praça.

O espaço público NÃO É DE NINGUÉM, É DE TODO MUNDO.

Anúncios

4 Respostas to “Cercados não transbordam”

  1. desacocheio Says:

    Nao acredito que entre nosotros mesmos estejamos agindo desse jeito.
    Quando as cercas estão aberta perdem o sentido de limite e virão contençao. Porque os bebados sao muitos e a Andradas bem perigosa.
    Deixemos de ser idiotas e ocupemos das coisas de verdade.
    Tanto preocupa-lhe o transborda?

  2. Tweets that mention Cercados não transbordam « Praça Livre BH -- Topsy.com Says:

    […] This post was mentioned on Twitter by Nathália Jacarandá and Mariana Matias, Coala Croata. Coala Croata said: https://pracalivrebh.wordpress.com/2010/09/17/cercados/ Cercados – no blog do Praça Livre. "toda ocupação é uma boa festa em potencial". […]

  3. Jaci Pires Says:

    Ora desacocheio, não vi ali nenhuma crítica ao Transborda, você viu? E, até onde sei, o pessoal que tentou colar este texto na grade estava lá para o Transborda também e provavelmente curtiu todos os shows.

    A crítica neste texto é à cerca e a quem obrigou o pessoal do Pegada a colocá-la.
    Releia o texto, acho que isto tá bem claro.

    agora, cê não tá realmente defendendo que a cerca tinha QUALQUER utilidade para proteger bêbados dos “perigos” da Andradas, tá? Porque acho que nem a Prefeitura acha isto…

  4. Jaci Pires Says:

    Outra coisa, que vi no outro post: http://twitter.com/foradoeixo/status/24892939382
    “@foradoeixo Mais sobre o @Transborda: Transbordando #2 – O festival é a Praia da Estação http://ow.ly/2Gmoj

    cê achou bacana?

    engraçado, todo mundo ficava preocupado com algum político usar a praia como trampolim, lembra? agora me diz, qual a diferença de um político fazer isto e de um produtor cultural fazer o mesmo? A Praia teve certo hype, né? E o Festival tinha fins, financeiros e trampolinescos.

    não se aporrinhe, sei que o pessoal do Pegada provavelmente nem atentou pra isto, não acho que rolou má fé ou coisa do tipo, parecem pessoas boas! No entanto, é uma falta de cuidado que, caso fosse o Arnaldo Godoy ou outro político, cairíamos em cima com paus e pedras.

    Não é pra causar polêmica ou brigas, mas a autocrítica deve ser feita, e este é um bom lugar pra isto, não? E isto pelo bem de todos nós, oras.

    na paz!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: