FIT cancelado – A cidade ficou de fora

by

Marcello Castilho Avellar – EM Cultura

Jair Amaral/EM/D.A Press - 30/6/08
Intervenção na Praça Sete, Centro de Belo Horizonte, no FIT de 2008: cidade fica sem seu maior evento cultural do ano

Nenhum justificativa, seja inspirada em racionalidade econômica ou política, seja fundada em motivos culturais, será capaz de legitimar o cancelamento do FIT 2010 ou seu adiamento para 2011. O mais importante evento do calendário cênico de Minas Gerais é pedra fundamental nos processos de formação de nosso público, artistas e ideias. Atraso de um ano em sua realização representa, então, adiamento de um ano no nascimento de novas formas, novos espectadores, novos pensamentos. É Belo Horizonte ficando para trás no que se refere ao teatro e a províncias fronteiriças a ele.

Mais surpreendente é a maneira como a notícia foi dada, de supetão, sem qualquer debate prévio fora das esferas administrativas. Em qualquer lugar civilizado, o cancelamento de um evento deste porte só seria possível depois de longo debate com todos os interessados – classe artística e comunidade. E ocorreria pela necessidade de transformações radicais nos próprios eventos, demandadas pelos interessados, e não pelos administradores dos próprios ou as autoridades do poder público que os mantêm. Na maneira como foi apresentado, o cancelamento do FIT traz de volta o desconforto do autoritarismo, da decisão de gabinete, da administração regida pela burocracia, na contramão de uma política mais participativa que vinha marcando a vida cultural de Belo Horizonte.

A Prefeitura e a Fundação Municipal de Cultura tiveram mais de um ano para adequar a versão 2010 do FIT a suas políticas culturais. Não tiveram empenho para fazer isso. Em outras cidades – novamente, a referência são comunidades menos provincianas do mundo –, um anúncio como o de ontem levaria, no mínimo, ao pedido de demissão de toda a cúpula da política cultural local. Aqui, poderia levar pelo menos a um debate útil: de quem são os festivais. O poder público costuma tratá-los como se fossem seus, mesmo quando está disposto a gastar o mínimo possível com eles. Não são. Os festivais pertencem à comunidade, que os sustenta não apenas com os impostos que os patrocinam, mas também com a participação em massa, aos milhares.

O pior é que a medida vem na esteira de outras, igualmente danosas à democratização da cultura, como a proibição de eventos na Praça da Estação. É a comunidade que foi traída pela decisão de cancelar o FIT. E é em nome dela que deveria se pensar em nova estrutura administrativa para o evento, estrutura independente, capaz de realizá-lo mesmo contra a vontade do poder público, quando este renega seu compromisso com a cultura.

Anúncios

9 Respostas to “FIT cancelado – A cidade ficou de fora”

  1. Lorenza Says:

    Nossa gente estou em choque!Abri meu twitter e dei de cara com esta notícia, q coisa mais ridícula! Como assim? E o panelaço hj? rolou mesmo? foi dada alguma declaração? Poxa!Amanhã apareço lá na Praia, estou impressionada com tamanha ignorância,desrespeito…

  2. Lorenza Says:

    Ah!Só um detalhe q me ocorreu o fato da Copa ocorrer em 2010 foi decido em JANEIRO pela FIFA?Tadinhos gente!Tem q xingar a FIFA por esta sacanagem, afinal de contas em DEZEMBRO quando eles lançaram o edital eles não tinham conhecimento da copa em 2010!foram pegos de surpresa né?:0( Eles nem merecem ser chamados de PALHAÇOS ou dizer q esta havendo um CIRCO, seria denegrir esta arte, esta manifestação CULTURAL!!CULTURA? a gente mostra para eles oq é isto,como se faz e quem REALMENTE sabe fazer!!!
    Pessoal apoio vcs! Eu no meu papel de público seguirei vcs onde quer q aconteça!!!

  3. cidadão comum Says:

    Estado de Minas falando de provincianismo?!! kkkkkkkkk
    A coisa tá feia mesmo…

  4. Pedro Moura Says:

    Amigo não é o EM falando de provincianismo é um Representante da classe artistica que você o conheceria si dela fizesse parte.

  5. José Ninguém Says:

    Pedro Moura, há algum problema em não ser da “classe artística”?

    E o que diabos é classe artística? Faço arte todo dia, na rua, no trabalho, no amor, no supermercado, no buteco. Onde é o Conselho Regional de Arte onde devo me inscrever para ser aceito na sua panelinha?

    Caro amigo, continuando o papo sério, se quiser manter algum diálogo, ou acrescentar algo, construir algo em conjunto, então saia do palco e venha aqui pra baixo conversar conosco, de igual pra igual.

  6. Luther Blissett Says:

    A prefeitura e a Fundação Municipal de Cultura alegam falta de qualidade dos espetaculos.

    A qualidade dos candidatos a vereadores, prefeitos, governadores, deputados e presidentes nunca foi satisfatória e nem por isso as eleições são canceladas.

  7. Sat Sangat Says:

    Concordo com o absurdo que é a não realização do FIT este ano.

    No entanto concordo com o Carlão que não da para fazer um FITIZINHO, ou pré-FIT este ano.

    O FIT é uma projeção de BH para o Brasil e para o mundo justamente pela sua diversidade, pela sua qualidade e pela grandiosidade que conseguiu projetar desde o início.

    Diminuí-lo em sua 10ª edição é tão grave quanto adiá-lo. A questão principal que sussita junto com o decreto da Praça da Estação é qual o lugar da política pública cultural em BH no atual mandato dos eleitos – e aqui incluo todos os políticos.

    BH sempre foi deficitária neste aspecto, no entanto vinha andando, mesmo que em passos de lesma. Mas estamos tendo nestes últimos meses vários retrocessos.

    Não tenho muito orgulho de ser a capital do buteco e cada vez mais deficiente em boas opções culturais – não por não haver produção, mas cada vez mais por falta de espaço. Tem final de semana que ou é buteco ou é casa.

  8. Ricardo Righi "Boi" Says:

    Concordo com o Avelar em absolutamente TODOS os aspectos por ele levantados.

    Além de ser uma atitude que ATESTA o PROVINCIANISMO e falta de audácia da nossa BH, tão culturalmente temerosa embora em crescente expansão de força, que papo é esse de questionar a qualidade dos espetáculos? Por acaso são só espectáculos de BH? E por acaso tá entrando algum espetáculo do “Circuito SINPARC” no FIT? As justificativas são todas falhas, nenhuma se sustenta.

    Por isso mesmo moçada, que desânimo é esse? Vamos aceitar esse provincianismo? SE LIGUEM NA ASSEMBLÉIA A SER REALIZADA ESSA QUARTA, DIA 24/03 ÀS 13h NA CÂMARA MUNICIPAL, NA AV. DOS ANDRADAS 3.100! Será acerca da Praça da Estação, mas eu não vejo como não entrar em pauta o FIT!!! VAMOS NESSA!!!

  9. André Says:

    A VERDADE:

    O FIT 2010 foi cancelado porque a presidente da Fundação Municipal de Cultura, Thaís Pimentel, destituiu quase toda a equipe que já vinha trabalhando nos FITs anteriores por interesses políticos: para colocar na equipe pessoas ligadas ao deputado Amílcar Martin$.
    E o problema é que essas pessoas não tinham a menor experiência com festivais desse porte e não tiveram competência de levar o FIT 2010 adiante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: