O que a Apreensão de uma Caixa de Gelo Representa – Um Relato Critico

by

Esse relato deveria ter sido feito no microfone dos shows debaixo do viaduto no dia do Eventão, para que tod@s presentes ficassem sabendo na hora. Mas segue tardiamente, pela internet:

Após a galera ter saído da Praça da Estação, caminhado, cantado, curtido, feito festa de rua pela Andradas em revolta contra a proibição dos shows na Praça (e todo o autoritarismo da prefeitura), e já se concentrarem debaixo do viaduto Santa Tereza para os shows, eu e @ amig@ Luther Blissett, voltamos a Praça da Estação para ver o que tinha ficado lá. Estávamos preocupad@s em recolher uma mesa de bar, caixa de gelo, umas faixas e canos de bandeiras para não ficarem abandonados lá.

Não estavam abandonados. Estavam sendo usados por um grupo de amig@s/familia (não eram promotores culturais e artistas, eram pessoas e pronto), que haviam trago comida, comprado cerveja e gelo, usando então a mesa e a caixa de gelo para o caso. Conversamos com a galera, para que, quando fossem embora, nos dessem o toque para podermos juntar essas coisas e levarmos para junto do evento, debaixo do viaduto.

Após tomarem a caixa de gelo de vendedores ambulantes que estavam na praça, vários fiscais da prefeitura com “expressões ameaçadoras”, com PM’s apoiando e outras pessoas, vieram falar que deveríamos desmontar a mesa e recolher a caixa de gelo, senão estas seriam apreendidas.

Alegavam que não se podia vender nada. NÃO estavam vendendo comida nem bebida. Estavam consumindo o que era del@s e curtindo a praça numa noitinha agradável.

Num situação mista de revolta, ânimos exaltados, insultos e ameaças, não levaram a mesa, mas apreendendo a caixa de gelo.

Engraçado isso tudo! Nós, pessoas comuns, é que construímos essa cidade. Nós nela trabalhamos, circulamos, vivemos, pagamos impostos, geramos riqueza, movimentamos. Com nossa grana que construíram aquela praça, os prédios, que pagam a energia elétrica, que compram o uniforme e pagam os salários dos PM’s e dos Fiscais.

… e não podemos abrir uma mesa, comermos e bebermos numa praça, curtir o espaço que dizem ter sido construido para nós?! E nos roubam nossos bens?!!

Qual é o real objetivo das praças e suas normas de uso? Qual o real papel da policia, fiscais e funcionários públicos? A quem governa a Prefeitura e o Estado?

Pensar o objetivo declarado dessas instituições em relação a sua atuação real é fundamental para entendermos nossa atuação na cidade. Se dizem parceiros e servir as pessoas, mas nessas situações, as mascaras caem.

Se querem nos impedir de vivenciar a cidade a nossa maneira, então devemos abrir caminho!

OKUPE A CIDADE!
OKUPE O MUNDO!

Omar Motta

Uma resposta to “O que a Apreensão de uma Caixa de Gelo Representa – Um Relato Critico”

  1. IxX Says:

    Pois é!

    Levaram a caixa de Gelo, nos expulsaram da Praça;
    _Isso é uma ditadura? bradava ela, de uns 55 anos.
    _ Vocês não vêem que o que os jovens estão fazendo é lindo, autentico, necessário? ou querem voltar aos punhos de ferro de antigamente.
    _NÃO, EU NÃO ACEITO. A PRAÇA É DO POVO, E NÃO ADIANTA TENTAREM NOS REPRIMIR, SABÁDO QUE VEM, ESTOU AQUI NOVAMENTE JUNTO COM ESSES JOVENS QUE DECIDIRAM GRITAR PELOS SEUS DIREITOS.

    Sabádo tem mais, vamos ver de quem é a cidade!

    OCUPE A CIDADE.

    A PRAIA DA ESTAÇÃO É DO POVO! DE TODO NÓS!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: